A ordem da cadeia de pedais – Como definir a ordem dos pedais?

A eterna discussão sobre como posicionar e definir a ordem dos pedais de efeitos:

Por 
Uma coisa da qual, nós guitarristas, não vamos nos livrar tão cedo, é a discussão com relação a ordem dos pedais efeitos. Particularmente, eu fico muito feliz com esse tipo de discussão pois mostra que os guitarristas estão realmente interessados em tirar o melhor som possível do seus sets.

Para alguns guitarristas que tem grandes sets de pedais essa discussão fica mais séria devido à grande cadeia de pedais que tem que administrar. É muito comum vermos duvidas sobre o assunto e mais comum ainda vermos sugestões sem nenhuma base, por conta disso resolvemos criar um post que tenha as justificativas para que o guitarrista possa entender o motivo da sugestão.

A sugestão abaixo é o modelo mais comumente usado. Lembrando que todas as sugestões mostradas nesse tópico também se aplicam a ordem dos pedais dos nossos amigos baixistas.

Mas antes de mais nada digo uma coisa: Testem tudo para achar o que funciona melhor para você e para o seu set!

1. Filtros e afins:

Qual é o lugar correto para o meu Wah Wah? Saiba como posicionar todos os seus pedais que dependem da dinâmica

No inicio da cadeia, sugerimos que sejam colocados os efeitos de filtro como Wah Wah, AutoWahs e até mesmo pedais de Phaser. Por que? Devido ao fato de esses efeitos serem dependentes da dinâmica do guitarrista para a sua atuação. Ou seja, o efeito produzido depende de como o guitarrista toca e, se posicionados mais a frente na cadeia podem perder parte dessa variação.

Caso você use um pedal de fuzz e esteja tentando buscar aquele timbre a lá Hendrix a essa altura já deve estar se perguntando quanto à posição do Fuzz em relação ao Wah Wah, não é verdade? Digo duas coisas quanto a isso: primeiro de tudo você tem que levar em conta alguns detalhes quanto ao uso de Wah Wah e Fuzz juntos conforme conversamos anteriormente e, segundo, testar! Esse é o segredo. Até por que, o que funciona bem pra maioria pode não ser o que vai funcionar bem pra você.

Também sugiro que os efeitos de equalização e afinadores sejam colocados no inicio do set para que possam trabalhar com o sinal mais limpo possível.

Compressor:

O compressor é um coringa que pode ser usado em diversas partes do set conseguindo-se resultados bastante variados. Se colocarmos ele aqui no inicio, teremos para o resto da cadeira um som mais constante, com menos dinâmica bom o suficiente para fazer todos os seus outros efeitos funcionar como devem. Essa é o uso mais comum para esse efeito.

2. Pedais de drives e distorções:

Saiba como posicionar os seus pedais de Ganho. Onde colocar o seu booster, Overdrive, Distortion, Fuzz

Logo após os efeitos limpos e os filtros podemos começar a posicionar os efeitos de ganho. Não existe uma regra sobre como ordenar vários pedais de drive ou distorção. No entanto eu uso o seguinte raciocínio: sigo a ordem da quantidade de drive/distorção de cada pedal de modo que ao usar um deles, eu tenho a opção (quase sempre) de usar o anterior como booster do seguinte caso necessário.

Uma coisa extremamente importante de mencionarmos é que esses pedais de ganho devem ser inseridos antes dos pedais de modulação. Você pode até tentar o uso deles depois de um Delay, por exemplo, mas não acredito que o resultado vá ser dos mais satisfatórios são.

Overdrive;

Preparei um material sensacional focado apenas nas diversas maneiras que é possível posicionar um Overdrive em sua cadeia de pedais e como isso pode te dar resultados diferentes e te surpreender das mais diferentes formas.

O material contém uma explicação dos diferentes tipos de Overdrive, como eles se comportam, como podem ser usados da melhor maneira e tudo mais. Além disso, vários dos exemplos são ilustrados com áudios para você entender perfeitamente o resultado das interações entre o Overdrive e os outros efeitos.

Esse material é exclusivo para os participantes da nossa lista de emails. Pra participar também, da um pulo aqui e veja se te interessa. 

Equalizer:

O uso do equalizer é mais comum de acontecer no inicio da cadeia como mencionei anteriormente, no entanto você pode achar interessante fazer o teste dele logo após os drives/distorções/Fuzz do seu set, uma vez que usando-o nessa posição você consegue controlar com muita precisão o ‘shape’ do seu efeito. Vale muito o teste!

3. Modulações:

Saiba como posicionar o seu Phaser, Flanger e outras modulações

Em alguns sets, os drives são a base dos efeitos, em outros isso acontece com as modulações. Não é incomum vermos sets com vários pedais de modulação juntos conseguindo sons fantásticos, sendo assim vamos ver como posicionar essas crianças: :)

Após os drives e distorções. Esse é o lugar onde você deve posicionar o seu Flanger, Chorus, tremolo e afins. Se você já tiver testado o phaser lá no começo da cadeia e não gostou do resultado, esse será o lugar onde você deve colocá-lo. As modulações são efeitos que, por trabalharem muito o sinal em vários estágios, são famosos ‘comedores’ de sinal e por isso trabalham muito melhor se posicionados depois dos efeitos de ganho. Primeiro pelo fato de trabalharem depois que o sinal já foi amplificado e, posicionando-os depois desses pedais de ganho, não corremos o risco de diminuirmos muito o ganho e a dinâmica do sinal antes de mandar para os drives e distorções.

Phaser:

Como havia dito, você tem duas opções para posicionar o seu Phaser: Pode tentar usá-lo no começo da cadeia, junto com os pedais de filtro ou no junto com as modulações. Posicioná-lo no inicio da cadeia irá funcionar lindamente se o seu som for basicamente um som limpo. No entanto, se você costuma usar o phaser em sons sujos é recomendável que o posicione junto das outras modulações

Ptich-Shifting:

Esses pedais costumam trabalhar melhor com sinais comprimidos, e isso é basicamente o que fazem os nosso pedais de drive e distorção. Dessa forma, é altamente recomendável que esses pedais sejam posicionados logo depois dos drives/distorções.

4. Efeitos de tempo:

Saiba como posicionar o seu delay, reverb e outras ambiências

O nome efeitos de tempo deve ter causado alguma confusão na cabeça de vocês. Afinal, o que é isso? Os efeitos de tempo, como sugere o nome, usam de alguma forma o tempo para trabalhar o sinal que recebem. Os dois principais exemplos dessa categoria são os delays e os reverbs. Por que separar esses dois efeitos das outras modulações? Principalmente por que o uso deles é um pouco diferente dos outros efeitos de modo que vale a pena falarmos um pouco sobre eles separadamente.

Se pararmos para pensar um pouco sobre o objetivo de usarmos Delay e Reverb em nossos sets já conseguiremos concluir do motivo de usarmos no final da cadeia. Esses pedais, tentam simular respostas de ambientes ao som do nosso instrumento seja a reverberação de uma catedral ou o eco de uma caverna ou vale. Esse efeito natural aconteceria com o som da nossa guitarra ao ser jogado no ambiente, certo? Então não existe motivo para não usarmos o som final do nosso set nesses efeitos, concordam? Além do mais são também grandes ‘comedores’ de sinal.

Eu sugiro que o reverb seja colocado por último na cadeia por dois motivos: Se você precisar cortar o som, alterar um efeito ou coisa similar o reverb vai continuar a responder naturalmente e segundo pelo fato de ficar mais similar à tradicional configuração que traz os reverbs já no amplificador.

Outras observações

A essa altura você deve estar se perguntando: Perai, mas cadê os pedais de booster nessa brincadeira? Então vamos falar um pouco sobre eles:

Boosters:

Esses pedais são reais coringas e podem ser usados em vários locais do seu set com finalidades distintas e resultados tão distintos quanto. É muito comum também vermos vários deles sendo usados em conjunto. Vamos lá:

1 – Você pode usá-los no inicio do set: esse uso proporciona um aumento substancial da dinâmica e consequentemente da resposta dos pedais que vem logo depois dele.

2 – Após os filtros e antes dos drives: Irá aumentar a resposta dos pedais de filtro, e aumentar a saturação dos drives que vem logo depois dele. :)

3 – No fim da cadeia: Essa é uma boa configuração para tentar recuperar um pouco do som que é perdido durante a cadeia e principalmente nas modulações, no entanto, para esse uso eu recomendaria o uso de um buffer. Conversamos sobre chaveamentos usando buffer anteriormente e já da pra ter uma noção de como ele trabalha.

Volume: Esse pedal não é propriamente um efeito mas vale a menção. Pode ser colocado em QUALQUER lugar do set. No entanto, como você pode querer usá-lo como no meio de músicas pra fazer aquele efeito tipo ‘violino’ que alguns guitarristas costumam fazer com o controle de volume da guitarra, eu sugiro que ele seja colocado logo antes dos Delays e Reverbs.

____________________

Depois dessa leve pincelada no assunto eu tenho uma última coisa para reforçar com vocês: tudo que eu disse aqui são apenas sugestões. O que deve realmente guiar na montagem do seu set, desde a escolha dos pedais até o posicionamento dele deve ser o seu ouvido. Sempre!

Postem ai nos comentários como vocês organizam os seus pedais.
Querem conversar ainda mais sobre nossos pedais e tudo mais? Não fiquem de fora da nossa lista de emails:

  • Heric

    muito boas dicas.

    só tenho dois pedais no meu set por enquanto e uso assim>:

    Guitarra > Pro Co Rat 2 > EHX Memory Boy > Amp.

    • http://maquinasdemusica.com Jorge Lopes

      Fala Heric,

      obrigado pelo comentário, meu caro. O seu set ta no inicio ainda mas o que posso te dizer é que você já está começando muito bem. Parabéns!
      Qual amp você usa?
      Gostou do post?

      Abraço
      Jorge

      • Carlos André

        Oi Jorge, parabéns pelo post, muito bom! Meu set é o seguinte:

        Afinador behringer > wah wah fat boy 1 > DS-1 (distortion) > SD-2 (dual overdrive) > BF-2 flanger > CH-1 super chorus > analog delay da fuhrmann.

        Utilizo as modulações (a partir do flanger) no loop de efeitos do meu ampli mgv-30 da meteoro. Tenho utilizado o distortion e o overdrive como booster um do outro a depender do som que to tirando. Gosto muito de usar o distortion sem distorção e com o level e tone no meio pra dá aquele ganho na base limpa, fica bem legal. Utilizo bastante o drive do ampli também, utilizando tanto o overdrive como a distorção como booster. De fato, como vc explicou no outro post, as possibilidades de utilização do overdrive (e na minha opinião, também da distorção) como booster são muitas. Abraços e continue com ótimo trabalho!

        • http://maquinasdemusica.com/ Jorge Lopes

          Muito obrigado meu caro!

          Um abraço.
          Jorge

  • Heric

    Curti bastante o post, bem esclarecedor.

    Atualmente eu uso um mini-amp Honeytone da Danelectro porque eu moro em apartamento e é complicado ter um amp maior. Não curto muito tocar com fone de ouvido.

    Meu plano é terminar meu set de pedais e depois pegar um valvulado desses menores, estive pesquisando até alguns handmades. meu sonho mesmo é o Tiny Terror, mas estou avaliando várias possibilidades dentro do imenso universo de amplificadores.

    No estúdio que eu ensaio com a minha banda uso um Meteoro daqueles híbridos, não curto muito o som dele, mas regulando com carinho fica até legal.

    • http://maquinasdemusica.com Jorge Lopes

      Cara,
      o honeytone parece ser uma alternativa legal pra quem mora em apartamento.

      Quando você diz valvulado dos menores, você se refere a um de até quantos watts?
      Cara, toquei um tempo num Tiny Terror e o que posso te dizer é o seguinte: Ele é pequeno só no tamanho mesmo. O nanico fala muito!

      Meteoro é de um gosto realmente muito duvidoso. Eu não entendo, com a possibilidade de fabricar amps tão legais a custo relativamente baixo eles continuam insistindo em projetos de segunda linha. Mas temos coisas boas no Brasil pra nos apegar. :)

      Muito obrigado pelos comentários, amigo.
      Abraço.

      Jorge

      • Heric

        quando eu digo menores é em tamanho mesmo, meu quarto é bem pequeno e eu gosto de deixar tudo aqui junto comigo guardadinho e seguro hehehe. Os 15 watts do Tiny Terror pra mim já estão de bom tamanho. Tive oportunidade de testá-lo uma vez e realmente ele fala muito mesmo.

        Inclusive o Honeytone é um chihuahua com latido de cachorro grande e dá um timbre bem legal, gosto muitíssimo dele.

        Eu queria um que me desse uma boa resposta em baixos volumes pra não incomodar a vizinhança e tocar meu rock n' roll com um som gostoso, mas que eu pudesse levar pra alguma eventual performance ao vivo na qual ele também não fizesse feio.

        Quando eu testei o Tiny gostei muito da resposta dele em baixos volumes e dá pra usá-lo ao vivo que fica uma sonzeira, só o preço dele que que é meio salgado aqui no Brasil e quem tem um não quer vender.

        Pensei em pegar só o Head Tiny Terror Series, nunca testei mas ouvi e li bons comentários a respeito e seria ideal para usar ao vivo. Enfim, são tantas opções que eu fico até meio perdido.

        Tocar em valvulado dá uma GAS absurda que não cabe no salário diante de tantas outras coisas pra destinar as verbas UAEIUIUEAIAEUIAEUEAIA.

        Minha nova sugestão de assunto é sobre bons amplificadores valvulados para quem é amador como eu e não tem tanta grana pra investir. outro assunto que também rende né! Só te dou trabalho, cara UAIEUAEIUAEIEUA.

        Mais uma vez parabéns pelo blog, conteúdo bem redigido e em português.

        • http://maquinasdemusica.com Jorge Lopes

          Fala Heric!

          Desses valvulados pequenos o Tiny Terror é realmente uma pérola! Na minha opinião vale muito bem o investimento, principalmente pra quem gosta de um bom Crunch! :)
          Mas te aviso logo, dependendo da caixa que você o plugar, provavelmente terá vizinhos reclamando.

          A opção de pegar a caixa separadamente pra mim é o ideal principalmente considerando as boas opções de Falantes que temos por aqui.

          Cara, trabalho nenhum! É um prazer receber sugestão de todo mundo. Pode ter certeza que ta anotado aqui e vai ser o tema de um dos próximos posts. Fique ligado e chame os amigos pra ver o blog também. Será um prazer conversar com o restante da galera da sua banda.

          Abraço.
          Jorge

  • http://soundcloud.com/lucas-714 Lucas

    Ótimo post Jorge! Nada mais polêmico do que definir um pedalboard ideal, afinal entendo que, como acontece com o timbre, o pedalboard faz parte da individualidade e do estilo do guitarrista. Concordo com toda a disposição sugerida e gastei muita energia até perceber que essas são as posições ideais. Hoje meu set está da seguinte forma:

    – Boss TU-3 (Afinador)
    – Boss GE-7 (Equalizador)
    – Dunlop Crybaby Wah Wah
    – ESI Prodrive II (Distorção c/ boost integrado, onde uso apenas o boost)
    – EHx Big Muff (Distorção)
    – Boss CH-1 (Chorus)
    – EHx Memory Toy (Delay)
    – Pedal de volume
    – Morpheus Droptune (Drop tuner)

    Essa é a disposição padrão e, dependendo do que toco, mudo algumas coisas. Além disso, apesar de duas distorções no set, a distorção principal é a do Head (ENGL Gigmaster 15). Por razões visíveis, meu set é direcionado fortemente para rock/metal.

    Parabéns por abordar de maneira abrangente (e funcional), um assunto que quase sempre gera dúvidas e incertezas.

    • Heric

      Set matador, parabéns.

      Como é que se comporta esse Memory Toy, você consegue tirar tudo que precisa dele? Eu atualmente uso o Memory Boy e que pedal maravilhoso viu!

      Você usa o Morpheus pra um momento específico do setlist ou no meio das músicas mesmo pra conseguir uns efeitos malucos?

  • Thiago

    O whammy é um efeito de Ptich, certo? Normalmente vejo os guitarristas o usando no início do set, em vez de usarem depois das distorções como você citou.

    • http://maquinasdemusica.com Jorge Lopes

      Fala Thiago, tudo bom?

      Certamente que o Whammy é um efeito de Pitch, você está certo.
      Interessante saber que tem guitarristas que o usam assim, você tem alguns exemplos pra compartilhar com a gente?
      A diferença prática é que o efeito vai em todos os outros pedais que venham depois dele e não o contrário. Pode ser que algum efeito ou pedal mais "sensível" pode não se comportar bem nessas condições.

      Abraço e obrigado pelo comentário.
      Jorge

  • Thiago

    Cara, na verdade eu vou pedir desculpas e aproveitar pra tirar uma dúvida com você. Eu pensei que o Tom Morello colocava o whammy antes da distorção, mas pelo o que vi ele coloca no loop de efeitos do amp. Acontece que eu vi em alguns fóruns bastante gente recomendando o uso dele antes da distorção, pois eles partem do princípio que é melhor o sinal ser alterado uma oitava acima quando ainda está limpo. Mas aqui vai a minha dúvida, eu comprei um Alien Rocket 30 (o último) e como ele só tem um canal eu estou na dúvida de como fazer essa ligação, se no input ou no loop de efeitos.

    Qual seria sua sugestão?

    • http://maquinasdemusica.com Jorge Lopes

      Fala Thiago,

      cara, não tem que se desculpar por nada! É trocando ideias com os amigos que a gente aprende.

      Então, dei uma olhada rápida aqui e vi que ele joga tudo no loop (aparentemente não usa nenhum pedal de ganho). Essa é uma estratégia interessante. Usando dessa forma ele consegue escapar de qualquer eventual perda de sinal que possa acontecer nos pedais, no entanto ele perde um pouco de dinâmica e da influência da guitarra na entrada de cada um, mas é muito interessante sim, principalmente num set baseado fortemente em modulações.

      Veja só as diferenças:
      Jogando na entrada você estará antes das distorções geradas pelo amp e é modo de uso mais padrão.
      Plugando direto no loop, você estará depois da distorção do pré e antes da do Power (que irá acontecer apenas quando você saturar bastante o seu amp!).

      Minha recomendação é aquela velha máxima: Testar muito e ver o que vai soar melhor com você e com o seu set!
      O que eu recomendo de verdade é que, para facilitar sua vida, você comece usando configurações parecidas com as dos caras com os quais você se identifica em termos de timbre, partindo dai vá alterando até achar o timbre que te agrada.

      Faça isso ai e arrebenta!
      Mande mais perguntas e comentários sempre que quiser.

      abraço.
      Jorge

  • Rubens

    Grande Jorge, vc matou a pau com esse post!
    segue meu set:

    Wah-Wah
    OD-3 overdrive
    DS-1 distortion Keeley mode
    HF-2 hi band flanger
    PH-3 phaser
    CE-2 chorus
    PDS1002 Digitla delay Digitech

    e vou te falar: já experimentei várias posiçoes com os pedais e realmente, a ordem sugerida foi que deu o melhor resultado!

    Abraços!

    • http://maquinasdemusica.com Jorge Lopes

      Muito obrigado, meu caro!

      O set ta muito bom, heim?! Mandando bem!
      Cara, no Loop de Efeitos do seu amp você costuma plugar alguma coisa?

      Abraço.

  • Pingback: Loop de Efeitos - O que é e como usar - Máquinas de Música()

  • Marlon

    Jorge, tenho o seguinte Set de Pedais, sendo que 05 deles comprei agora e nem instalei ainda.
    Boss FV-300 – Volume
    Vox V-847 – Wha Wha
    TC – Polytune
    Boss – OD2-R – Turbo Overdrive
    Vox JS-DS – Satchurator
    MXR – Phase 90
    Boss TR-2 – Tremolo
    Boss CE-2 – Chorus Esemble
    Korg – Flanger
    Ibanez DDL-10 – Digital Delay
    Line 6 DL-4 – Delay/Loop
    Amp Mesa-Boogie F-50 (1 canal clean e outro canal com 02 distorções) – Reverb de Mola

    • http://maquinasdemusica.com Jorge Lopes

      Fala Marlon,

      o set ta muito bacana heim?! Quais são os pedais novos? Como você está usando esse seu set atualmente?
      Ta querendo sugestões de como posicionar os seus pedais?

      Valeu pelo comentário, cara.
      Um abraço.
      Jorge

      • Marlon

        Jorge, eu me esqueci do Boss CS-3 Compressor/Sustainer e do NS-2 Boss Noise Supressor. Antes eu não tinha o Polytune, o Tremolo, o DL4, o Booster e o Vox Satchurator e tinha um Rocktron Silver Dragon que acabei vendendo pelo tamanho e pelo timbre de distortion valvulado, pois comprei o Mesa Boogie e o timbre é infinitamente mais nítido. Gostaria de saber como montar o set sem haver muita perda de sinal, pois a quantidade de pedais é grande. Talvez o loop do amp para os delays, chorus e flanger? Deixando o Tremolo e o phaser na linha pra ter mais liberdade e influência da pegada? Meus cabos de interligação dos pedais é amphenol e os de ligação para guitarra e amp é Rapco. Desde já agradeço sua atenção. Valeu!

        • http://maquinasdemusica.com Jorge Lopes

          Fala Marlon, massa demais o seu set. Muitos pedais e bem escolhidos.

          Olha como descrito no tópico, como você não usa nenhum Fuzz, eu faria o seguinte:

          – Afinador
          – Vox Wah
          – Compressor
          – Drive Boss
          – Satchurator
          – Tremolo
          – Line 6 Delay
          – Volume

          As outras modulações eu usária direto no Loop do amp.
          Explico por que.

          Eu prefiro usar aquelas modulações direto no loop por que acredito que elas trabalham melhor com um sinal mais linear. A questão não é exatamente perda de sinal. Alguns pedais do seu set atendem bem no sentido de prevenir isso como o caso do Polytune e dos pedais boss, pois trabalho com Bypass com buffer.
          Sugeri que ficasse um delay na linha pois talvez você queira usar o volume para fazer ums sweels interessantes e dai talvez os queira com os efeitos e os efeitos antes do volume vão trabalhar melhor nesse caso.

          Como você está usando bons cabos ja vai ajudar a prevenir perdas por ai.

          O que você acha de usar assim?
          Abraço
          Jorge

  • Pingback: 3 Passos para posicionar o overdrive no seu set - Máquinas de Música()

  • Chris

    Olá jorge como vai? voce poderia me ajudar na disposiçao dos meus pedais a partir do amplificador?
    Eu tenho :

    Afinador Boss Tu-3
    Delay Boss DD-6
    Line 6 MM-4 ) chorus, flanger, phaser
    Ibanez Ts-9 Tube Screamer
    Fulttone OCD
    Dunlop Wah wah

    Qual seria a melhor disposição começando a ligação do amplificador?

    • http://maquinasdemusica.com Jorge Lopes

      Fala Cris, tudo bem, cara?

      Olha só, se você seguir os passos da página fica fácil pra você. (As configurações mostradas aqui levam em conta a sequencia a partir da guitarra até o amplificador)
      O que eu sugiro é partir da configuração de ordem básica sugerida aqui e depois testar algumas variações.

      Se tiver alguma outra dúvida que não ficou claro na página é só falar!
      Um grande abraço
      Jorge

  • Jo Roberto

    cara no meu caso q tenho 2 tri efx da landscape e um wha wha da vox o q vc me aconselha a fazer?

    • http://maquinasdemusica.com Jorge Lopes

      Fala Jo, bom?

      Cara, eu iria de Guitarra > Vox Wah > Tri Efx > Amplificador

      Um abraço.
      Jorge

  • Jonathas

    Boa tarde
    Tenho alguns pedais boss qual seria a ordem correta
    Afinador
    Equalizador
    Compression
    Delay
    Chorus
    Distorção ds1
    Mt2
    Overdriver sd1
    Wha Wha
    Fico no aguardo

    Att

    • http://maquinasdemusica.com Jorge Lopes

      Fala Jonathas, tudo bom?

      Você tentou usar a configuração sugerida aqui neste post? Qual foi o resultado? Você curtiu?

      Um abraço
      Jorge

  • Milton Moraes Filho

    Prezado Jorge! Fantástico seus posts!
    Estou com muitas dúvidas, pois comprei um combo valvulado Blackstar 5HT e estou ligando direto na guitarra. Overdrive maravilhoso. Uso apenas para ensaios. Meus colegas da banda me pediram para evidenciar mais a guitarra durante o solo. Gostaria de saber como podemos fazer isso? Pedal de volume? Pedal de Booster (de overdrive, de equalizador, estou confuso)? Ou pedais de overdrive em cima do som do amp?
    Seria até interessante uma matéria a respeito de como evidenciar o solo durante um ensaio!
    Desde já agradeço pela atenção!
    Milton

    • http://maquinasdemusica.com Jorge Lopes

      Fala Milton,

      muito obrigado pelos comentários, cara!
      Bom saber que já está no mundo dos valvulados e certamente tirando bons timbres!

      Se você quer dar um up na hora do solo ou em uma parte de maior destaque da sua guitarra, eu sugiro fortemente o uso de um Overdrive. Um booster também é uma boa escolha, mas as possibilidades de um Overdrive são muito maiores.
      Se você quiser entender como tirar o máximo do seu pedal de Overdrive, se inscreva na lista de emails (ta aqui o link http://forms.aweber.com/form/25/1641518125.htm ) que você vai receber um conteúdo exclusivo sobre como tirar o máximo do seu pedal de overdrive em poucos passos simples!

      Um abraço
      Jorge
      Um abraço

  • Marco

    Meu amigo me tira uma grande dúvida, tenho um delay da nux, o time core. O q acontece é o seguinte, se eu ligar a guitarra num pedal de drive 1 + drive 2 + chorus + delay fico sem sinal de som no ampli(MGV 30), mas se eu ligar a guitarra no delay + drive1 + drive2 + chorus o som fica normal. Pode ser defeito no pedal de delay?

    Agradeço pela ajuda.
    Abçs

    • http://maquinasdemusica.com/ Jorge Lopes

      Marco, apaguei o comentário no outro post pois trata-se desse mesmo comentário;
      Esse problema é muito estranho e, considerando que acontece apenas com o Delay pode ser um problema sim. Mas não é possível te falar o que é precisamente sem uma análise mais minunciosa.

      Um abraço.
      Jorge

      • Marco

        Jorge, obrigado pela atenção. Vou quebrar a cabeça um pouco mais e ver se descubro o q eatá acontecendo.
        Valeu!!!
        Marco

  • Eliel Santos

    e bacana utilizar Direct box neste set de pedais?

    • http://maquinasdemusica.com/ Jorge Lopes

      Oi Eliel, em que situação você se refere?

      Um abraço.
      Jorge

  • Paulo R.

    Olá Jorge, ótimo site! Meu estilo musical é gospel e minha questão é a seguinte…

    Meu equipamento e a sequência que atualmente uso são o seguinte: Fender American Tele > Wah Cry Baby > Polytune > Fuzz (Lunar Module, da ScreddyPedals) > Overdrive-Boost (MK-3, da Diamond) > Programmable EQ (Source Audio) > Chorus (CR-7, da Hardwire) > Delay (Flashback, da TC Eletronics) > Looper (Ditto, da TC Eletronics) > Vox AC15 Custom.

    Com esse set eu tiro todo tipo de som que eu preciso, MENOS uma distorção com ganho mais alto. Quando preciso (raramente) de uma distorção de alto ganho (tipo heavy metal) dá a maior trabalheira, tenho que combinar fuzz com uma equalização específica valorizando os graves, e ainda assim não sai tão heavy…a pergunta parece retórica, mas será que esse som mais pesado não sai porque minha guitarra Tele, combinado com meu amp, valorizam som limpo? Tipo assim, será com esse mesmo set e uma Ibanez, Gibson, ou até mesmo uma Strato dependendo eu não tiraria o heavy?