Máquinas de Gigantes – Slash – Amplificadores

Slash – Appetite for the best tone!

Por Jorge Lopes

Slash, seus stacks e seus AFD100

Slash em frente aos Stacks dos AFD100

Hoje voltamos com o Máquinas de Gigantes e não poderíamos voltar de maneira mais matadora! Vamos falar hoje dos amplificadores usados por uma fera que ajudou a fazer renascer o Hard Rock no fim dos anos 80 e início dos anos 90. Estou falando do Slash.  O cara por trás das guitarras do Guns n’ Roses, Velvet Revolver, Slash’s Snakepit, etc. Sempre conhecido por ter um timbre matador, agressivo e ser dono de uma sensibilidade ímpar para compor solos memoráveis que hoje marcam a história do Rock, Slash não é um guitarrista super exigente ou que usa um milhão de amplificadores diferentes. Desde o início do Guns ‘n’ Roses ele usa basicamente a mesma linha de amplificadores, normalmente variando os modelos. Essa é uma das razões pelas quais você reconhece o seu timbre independente do projeto no qual ele esteja tocando. Então vamos às máquinas:

1. Marshall JMP MKII (Marshall 1959 modificado)

Esse é o conhecido Appetite for Destruction amplifier. Sobre esse amplificador já foram feitas muitas teorias, sobre qual modelo seria, se seria modificado ou não e o motivo de o Slash ter amado tanto o timbre desse amp a ponto de simular um suposto roubo para ficar com ele, roubo esse que deu errado e a máquina acabou voltando para as mãoes da S.I.R. (Studio Instrument Rentals in Los Angeles) que era a dona do equipamento. Segundo os relatos que são encontrados até hoje, muito provavelmente, o Amp que caiu nas mãos do Slash naquela ocasião foi um 1959T que apresentava um tremolo.

Marshall 1959T JMP MKII

Marshall 1959T. Um desse, modificado foi usado durante as gravações do Appetite for Destruction

Esse era um modelo de 100 watts, com quatro entrada em dois canais. Equipado com 3 ECC83 no pré amplificador e com o estágio de power sendo conduzido por quatro KT66 ou EL34. É dificil precisar quais válvulas usadas no parte de potência uma vez que isso depende exatamente da época na qual o amp foi produzido. Os amps equipados com KT66 deram lugar aos produzidos com EL34 em 1969.O canal ‘lead’ apresenta um timbre mais brilhante eu um volume um pouco mais poderoso, ao contrário do canal rhythm que apresenta um timbre e uma resposta mais flat. As quatro entradas são dividas entre os dois canais sendo uma High e outra Low input para cada canal. Os dois canais podem ser jumpeados usando-se um cabo.

2. Marshall JCM 2203

O JCM modelo 2203 foi o substitudo do Appetite Marshall que o Slash tentou manter após as gravações do Appetite For Destruction. Há boatos (sempre eles) que ele chegou a testar mais de 50 amplificadores Marshall diferentes antes de chegar até esse que agradasse em termos de timbre e que se aproximasse do timbre que ele havia conseguido com o amplificador anterior. Esse passou a ser, naqueles anos subsequentes, o cavalo de guerra do Slash, uma vez que foi usado extensivamente nos shows que se seguiram à gravação do primeiro disco.

JCM 800 Lead Series Head

JCM 800 Lead Series Head – Imortalizado por vários rock stars dos anos 80

Esse amp, que ficou abusrdamente famoso após a década de 80 é uma das marcas registradas do Hard Rock oitentista. Vinha equipado com 3 ECC83 nos estágio de pré amplificação e 4 EL34 (ocasionalmente substituidas por quatro 6550)  no estágio de potência entregando 100 watts de muito Rock ‘n’ Roll. A configuração das válvulas atende a praticamente os mesmos requisitos do 1959T, no entanto eles diferem em recursos e timbre embora ainda venha com aquele timbre e drive clássico da era Plexi dos cabeçotes Marshall. O JCM 2203 Lead Series vinha equipado apenas com um canal, sendo que esse canal possui duas entradas: Uma High e outra Low input. Adicionalmente esse amplificador vem equipado com um bom loop de efeitos.

3. Marshall JCM 2555 Silver Jubilee

I’ve been using the same Marshall Jubilee heads at every gig and session since I got them in 1987. A bunch of those got badly damaged at the riot we had in St. Louis in 1991. After that, I was really nervous about my amplifier situation because I knew that if anything happened to the Jubilees I had left, I would be totally screwed.

Por algum tempo durante o final da década de 80 e o inicio da década de 90 o Slash deixou um pouco de lado o JCM 2203 e passou a usar exclusivamente JCM 2555 Silver Jubilee.

Marshall Silver Jubilee JCM 2555

Marshall Silver Jubilee JCM 2555 o mesmo modelo usado pro Slash desde o fim dos anos 80

Esse era um novo modelo produzido pela Marshall a partir de 1987 em comemoração dos 25 anos da Marshall Amplification. Esse amplificador foi produzido (em sua versão original) entre os anos de 1987 e 1989. Assim como os dois amplificadores citados anteriormente, esse apresenta três ECC83 no pré e quatro EL34 na parte de potência, no entanto o Slash substituiu em seu amplificador as válvulas originais por KT88 no estágio de potência. Possui um loop de efeitos bastante similar ao usado no JCM 800. Uma característica interessante e nova com relação aos outros usados anteriormente era a possibilidade de usá-lo em uma configuração de 50 watts, que era usada por ele quando fazia uso do talk box.

4. Marshall JCM 2555 Slash Signature (Jubilee Reissue)

A descontinuação do Silver Jubilee tornou-se motivo de preocupação para o Slash uma vez que esse, na época, era o seu principal amplificador. A partir dai, em conversar com a Marshall, sai o projeto do Marshall JCM 2555 Slash Signature, que passa a ser o primeiro amplificador “Signature Series” da Marshall. Foram produzidos apenas 3000 exemplares desse amp que vinha com o acabamento simulando a aparência de uma cobra e com a “assinatura” do Slash no faceplate do amp. Além dessas caracteristicas básicas, o amp vinha com o manual onde apareciam sugestões de timbragem dadas pelo próprio Slash com base na configuração usada por ele.

Marshall Slash Jubilee

Marshall Slash Jubilee – Esse foi o primeiro Amplificador Signature feito pela Marshall e o primeiro Signature do Slash

Após o lançamento dessa linha o Slash passou a usá-lo mais para sons limpos e voltou a usar um JCM 800 para os sons sujos.

Assim como os outros amplificadores citados anteriormente, esse vinha equipado em seu pré com três ECC83 enquanto no estágio de potência vinham quatro EL34 (ocasionalmente substituídas por KT88) no estágio de potência. Entrtega 100 watts e possui apenas uma entrada, diferente do Silver Jubilee tradicional que possui entradas High e Low input. Adicionalmente possui o Loop de efeitos assim como seu predecessor. No manual do Slash Signature Jubilee é possível encontrar várias informações sobre o amp.

5. Marshall AFD100 Slash Signature

Os quatro amplificadores citados acima fecham a leva de amplificadores da Era Guns ‘n’ Roses desse mestre, no entanto existe mais um digno de nota ainda nesse post:

Apos oito anos de trabalho e desenvolvimento a Marshall anunciou o novo fruto de sua parceria com Slash: O Marshall AFD100 Slash Signature. Como pode ser comprovado no video de lançamento do Marshall AFD100 esse amplificador foi concebido na tentativa de mais uma vez recriar o timbre de guitarra conseguido durante as gravações do Appetite for Destruction.

Marshall AFD100 Front view

Marshall AFD100 – Desenvolvido para alcançar os timbres clássicos do Appetite for Destruction

O lançamento do amplificador coincide com o aniversário de 23 anos de lançamento do primeiro disco da Banda mais perigosa do mundoe por isso foram produzidas 2300 peças desse modelo e mais 100 peças em edição especial assinadas pelo próprio Slash. Segundo o que é dito durante o video, a Marshall teve acesso às Masters do “Appetite” (será?) e a partir partiu em busca do circuito que traria de volta aquele timbre.

Em aparência, o amp respeita muito as caracteristicas do Marshall 1959 (JMP MKII) utilizado durante as gravações do primeiro disco do Guns ‘n’ Roses, com a adição de ilustrações que identificam o amp como sendo uma edição ‘Signature’ do mestre Slash.

Marshall AFD100 Back view

Marshall AFD100 – Visão traseira

O Marshall AFD100 entrega 100 watts usando cinco válvulas ECC83 no pré amplificador e quatro 6550 no estágio de potência. Além disso ele vem equipado com uma chave que permite alterar entre os dois timbres usados por Slash no Appetite for Destruction: O #34 e o JCM escolhido por ele anteriormente. Esse amp também conta com o recurso de atenuação que é feito eletronicamente, loop de efeitos e footswitch.

 

Galera, passamos brevemente pelos amplificadores da era Guns do Slash e demos uma pincelada nesse amp mais recente que também tem muito a ver com essa época. Como a história dos equipamentos do Slash é cheia de boatos e histórias, caso tenham algo a acrescentar é só postar nos comentários.

Abraços.

 

Comments

  1. Leonardo Mateus says

    Legal esse post.. principalmente o esquema do roubo…kkkkkkkk.. Cara seu blog ta show bro!!! Parabéns ae vey!! =P

    • says

      Fala Leo! Valeu demais cara! E de você eu espero inputs pro blog, heim!

      Cara, a histório do Slash é cheia de coisas engraçadas. Em breve vai sair mais sobre ele e outros. Inclusive, se tiver sugestão fique a vontade. Abraço.

Trackbacks

Deixe uma resposta